Veja, km a km, o que os motoristas vão encontrar na Tamoios neste fim de ano

Rodovia deve receber mais de 460 mil veículos a partir desta sexta (20). Veja as condições da rodovia e trechos que ainda não foram concluídos

Postada em: 20/12/2013 13h28m
​Principal acesso ao litoral norte de São Paulo, a Rodovia dos Tamoios (SP-99) terá as obras de duplicação suspensas a partir desta sexta-feira (20) para absorver o tráfego de aproximadamente 460 mil veículos que são esperados na rodovia durante as festas de Natal e Ano Novo, de acordo com a estimativa da Secretaria do Estado de Transportes.

Quem trafegar pela rodovia nesse período terá pista dupla e acostamento nos dois sentidos entre os kms 11 e 60, e a velocidade máxima permitida retomou para 80 km/h, após ficar em 60 km/h por dez meses.

Mas é preciso atenção: além das mudanças geradas pela duplicação, os retornos em nível estão fechados e, em um trecho de quatro quilômetros, na altura do km 26, em Paraibuna, a obra ainda não foi concluída e o motorista deve ficar atento com as placas. Nesses trechos, a velocidade permitida continua sendo 60 km/h. O G1 percorreu a rodovia nesta semana e mostra o que o motorista deve encontrar ao longo da viagem:

A pista está duplicada e o asfalto foi recapeado. Também foram instaladas barreiras de proteção em alguns trechos, para impedir que o motorista invada o sentido contrário. A barreira está sob uma faixa metálica que tem a função de impedir que o farol alto do veículo em um sentido prejudique o motorista que está na outra pista. Neste trecho, tem um posto da Polícia Rodoviária Estadual, na altura do km 22, emJambeiro, e radares fixos. As obras, que tiveram início em maio de 2012, consumiram R$ 672,4 milhões.

O trecho que começa em Paraibuna é o mais complicado. A obra no trajeto de quatro quilômetros, onde está a região da Serrinha, ainda não foi concluída e será retomada em 6 de janeiro. Uma mudança que o motorista deve ficar atento é a alteração no traçado já que agora a descida será feita em uma nova pista, criada cerca de 10 metros abaixo da estrada original. Entre os kms 27 e 28, a pista não sofreu nenhuma alteração e o tráfego ocorre em mão.

O tráfego volta ao normal após uma ponte no km 29 e segue assim até o km 31,5, onde foram colocadas barreiras plásticas provisórias para separar as pistas. Até o km 37 são três pontos curtos sem guard-rail, o que exige mais atenção dos motoristas. Os retornos em nível estão fechados e o fluxo será redirecionado para os retornos provisórios na altura dos kms 32, 35 e 39.

A atenção do motorista deve ser entre os km 45 e 48, onde tem bastante maquinário no acostamento. Atenção ainda para a curva do km 48: nesse trecho a divisão das faixas é feita com cone e em uma das pistas eles não conseguiram terminar a pintura da faixa. Logo após a curva do km 48, tem um desnível grande entre o acostamento e o barranco.

Últimos trechos da obra de duplicação. Na altura do km 55 tem bastante maquinário e o acesso a Salesópolis (SP) pode gerar uma certa confusão ao motorista. Problema também no trecho entre os kms 57 ao 59, que está com barreira improvisada e a pintura está falha em alguns trechos. Nesse trecho, o trânsito pode começar a afunilar porque o trecho de serra não foi duplicado.

ESTRADAS
  • Foto: Carlos Santos/G1
  • Fonte: G1
  • Postador:

Digite o codigo abaixo:

Recarregar imagem

Publicidades Surgiu-54