Publicidades Surgiu-200

O cuidado multidisciplinar das doenças respiratórias

Clínica Acallanto trabalha com equipe integrada e campanha interna para tratamentos e prevenção de pneumonias

Postada em: 08/10/2013 22h46m
Tratar um paciente que devido a seu quadro clínico já apresenta um problema respiratório é, sem dúvida, uma tarefa muito difícil, tanto para os médicos quanto para os demais profissionais de saúde que irão desenvolver o trabalho de recuperação deste paciente.

O ar que respiramos, principalmente em épocas mais frias ou de baixa umidade é um grande facilitador para propagação de enfermidades, como a pneumonia, as tosses, DPOC (Doença Obstrutiva Crônica), bronquite e a asma, que são alguns dos muitos problemas ocasionados pela respiração.

Para auxiliar no tratamento e prevenção de pacientes com estes problemas, a Clínica Acallanto, no Brasil, promoveu uma campanha interna com os profissionais de fisioterapia, fonoaudiologia e a equipe de enfermagem para auxiliar o tratamento de pacientes com problemas respiratórios.

Mas como uma equipe estruturada deve proceder para reduzir tais ocorrências? Intitulada “ConfortAr”, a campanha segue procedimentos de segurança, de higienização de aparelhos e instrumentos, e cuidados de higiene oral e higiene do ambiente. “Tomando estes cuidados, o paciente reduz o tempo de permanência hospitalar; o risco infeccioso e principalmente reduz a necessidade de intervenção com antibioticoterapia, que normalmente traz desconforto devido às punções constantes”, diz a responsável pelo setor de enfermagem da clínica, Aurivânia Alexandre.

O caso mais comum de problemas respiratórios é a pneumonia, que pode ser provocada por vírus, fungos e bactérias, os quais, através da respiração, se instalam no pulmão causando a infecção. Mas como saber quando é uma pneumonia? Segundo o fisioterapeuta da Clínica Acallanto, Dr. Luis Carlos Gomes, os principais sintomas da doença são: calafrios, febre, tosse e dor torácica acompanhada de queda do estado geral. Um paciente com esse quadro é encaminhado para exames laboratoriais, onde irão confirmar a análise clínica e dar continuidade ao tratamento.

Para o Dr. Luis Carlos Gomes se prevenir e se tratar adequadamente, por meio de alimentação e cuidados gerais com imunidade, bem como a higienização de tudo relacionado ao paciente são as melhores maneiras de evitar complicações ou doenças respiratórias.

No caso de pacientes já infectados ou com doenças crônicas, o fisioterapeuta alerta: “Quando o paciente tem uma DPOC (Doença Obstrutiva Crônica) é necessário um acompanhamento médico constante, fisioterapia respiratória, higiene brônquica, ingestão de líquidos adequada e atividade física moderada. Além de cuidados extremos com a higienização”, conclui.

Segundo a fonoaudióloga Carina Aparecida Tramonte, especialista da Acallanto, após diagnosticado o problema respiratório do paciente, o tratamento deve ser iniciado com as instruções médicas e também fonoaudiólogas. A primeira irá tratar a doença na totalidade e a segunda, de maneira abrangente, trabalhará na orientação familiar sobre postura para alimentação e higiene oral adequada para o paciente, por meio da manipulação e exercícios específicos dos órgãos fonoarticulatórios e funções respiratórias.

Experiência como a “ConfortAR” é apenas uma das formas que a equipe da Clínica Acallanto é estimulada a trocar conhecimentos multidisciplinares, ampliar horizontes e se aperfeiçoar no tratamento dos pacientes.

Sobre a clínica Acallanto

Importância à vida. Este é o mote da Acallanto, clínica de cuidados prolongados, transição e paliativos, que atende pacientes de média e alta complexidade. A empresa foi criada para atender uma demanda forte do mercado e também consolidar a importância da humanização nas relações interpessoais, não só na área da Saúde, mas em todos os campos da vida.

A Clínica foi fundada, em 2009, a clínica conta com atendimento médico 24 horas, equipe de clínico geral, geriatra, infectologista, cardiologista, pneumologista, pediatra e especialista em terapia intensiva e também de enfermagem, fonoaudiologia, terapia ocupacional, fisioterapia, psicólogo, odontologia, nutricionista e farmacêutico. Sem contar o cuidado humano, o acalanto e todo apoio familiar.

Visando aprimorar e melhor atender seus pacientes e suas famílias, em 2012, a Clínica Acallanto inaugurou sua segunda casa, ambas na Lapa, podendo dividir seus atendimentos em infantil, R. Aurélia, 1092, e adulto, R. Tito, 1549. Tornando-se assim, a primeira clínica de cuidados paliativos especializada no atendimento infanto-juvenil.

Proteger, cuidar, confortar e, acima de tudo, promover o bem-estar são alguns dos objetivos da Acallanto. Para eles, a vida, não importa sua condição, deve sempre ser tratada com respeito e dignidade. E saber que sempre há o que fazer.  

DOENÇAS RESPIRATÓRIAS
  • Foto:
  • Fonte: Mariana Pestana
  • Postador:

Digite o codigo abaixo:

Recarregar imagem